4.9.09

Doce Heresia


Lunático é o nome do filme : uma demente digressão do tcheco Jan Svankmajer (atenção para esse nome) . Um delírio infâme que não deixaria impassível nem o mais distraído dos humanos . Uma beleza de obra , me desculpem o termo , mas de arte , no sentido acadêmico da palavra . É uma espécie de versão em filme de um quadro de Bosch , um pesadelo que não para de seguir em frente , uma doce heresia capaz de comover um hipotético Nietzsche cinéfilo .
As referências vão da narrativa onírica de Buñuel , realismo italiano , os disparates do Marquês de Sade , e a escuridão de Edgard Allan Poe , tudo aliás muito bem gasto , colocadinho .
O filme já começa com um manifesto do diretor em pessoa , afirmando estar a arte hoje em dia " perdida junto ao olhar do narciso em um espelho d'água " . O cara é sinistro ! E pelo que me pareceu , o rei do stop motion em plena era digital .
O que mais eu posso dizer ? Cinema como terapia purgativa . Filme para quem tem um parafuso a menos (ou a mais !)

29.8.09

Boys don't cry


Há pouco mais de 20 anos eu escutei Boys don't cry pela primeira vez , e foi uma epifania . Tudo fez então sentido : Aquele solo de guitarra escolhido a dedo (não precisava saber tocar) , a voz qualquer nota , a melancolia sem fim , e aquela letra (que eu ja entendia com meu ingles de CCAA livro 5) que não falava de deusas nórdicas ou escadas para o céu , mas parecia mais as coisas comuns que qualquer um escreve na ultima folha do caderno da escola quando está apaixonado. Mas mesmo assim , era vibrante , ligeira e cheia de pratos de ataque ! Uma maravilha . Um tempo depois (não existia internet nem MTV) vi a enigmática figura daquele sujeito de cabelo espetado pela televisão e o Cure me pegou para sempre. Robert Smith não me parecia como um deus inatingível , mas um freak sensível , que sentia as coisas que cantava.
Nesse ultimo mês escutei todos os discos do Cure , uma a um , metodicamente . Além de Boys don't cry ainda bater , corrigi algumas injustiças que cometi no passado com alguns discos mais recentes : É simplesmente foda , perfeito , para a vida. O Cure foi várias bandas , e amo todas elas. Ah , Bob , te amo também , muito !

2.7.09

O triunfo da picaretagem


Dan Brown, o "Gênio"(SIC) por trás dos 2 maiores fenomenos editoriais dos Ultimos tempos : Código da Vinci e Anjos e demônios. Obviamente nunca li nada do cara (não preciso provar capim para saber que é horrível) , mas a minha curiosidade mórbida me levou aos respectivos abacaxis cinematográficos , mais recentemente Anjos e demônios. Então eu entendi tudo : O cara tem uma noção de história acima da média dos mortais que nunca se deram ao trabalho de ler um livro de verdade - os dele não contam , e cria enredos rasos , risíveis e descabidos , porém com uma roupagem histórica didática de telecurso 2o grau baseado em seus conhecimentos " sérios", e o principal , abordando temas "polêmicos" (ha , ha ha !!) como uma possível descêndencia de Cristo (Codigo da Vinci) ou os métodos obscuros e jogos de poder da Santa sé (Anjos e demônios) . Pronto , me mate agora por favor ..Obviamente não faltou quem aplauda de pé , basta checar o estrato bancário do sujeito . Tom Hanks pode não ser nenhum Marlon Brando , mas também não é um ator ruim , e dá pra perceber o constrangimento e má vontade com que interpreta seu personagem (intelectual-agnóstico-simbologista-detetive-heroi-de meia idade , que é o próprio alter ego de Dan Brown ?), porque Tom Hanks não é bobo nem nada , e sabe que as coisas em Hollywood podem ficar bicudas , então está garantindo a aposentadoria.Parabens à esperteza (picaretagem ?) de Brown que conhece bem o publico que quer atinjir , e fica valendo mais que nunca a máxima de que trilhões de moscas não podem estar erradas : Coma Merda !!

10.5.09

Outono no Rio de Janeiro


O verão leva toda a fama por aqui ( mas é diluviano e muito abafado , além de trazer a dengue e a superlotação) e o inverno a antitese do espirito carioca , mas é o outono a minha estação predileta pra se estar no Rio de Janeiro !

Os dias são muito claros , e por causa da baixa umidade no ar a visibilidade é muito boa , reveladora , com os céus mais azuis e límpidos possíveis , parecendo sob encomenda para emoldurar as belezas daqui.

Além disso a temperatura é muito gostosa , agradável e civilizada , nada daquele calor senegalesco e nem de perto algo que possa se chamar de frio (embora os mais afoitos já corram para um casaquinho).

Me parece que tudo isso se reflete um pouco no comportamento das pessoas , que parecem estar mais focadas , mais introspectivas , ou mesmo contemplativas como eu , com o temperamento menos " carnavalesco" . Talvez nos permitimos se libertar um pouco do nosso estigma tropical , e até mesmo , quem sabe , esquecer um pouco dos tantos problemas que afligem a cidade.

Mas como estamos mesmo nos trópicos o outono é discreto , ligeiro , quase uma impressão , expremido entre as estações mais marcadas , e por isso mesmo ainda mais especial.

Bom para estar no mar , bom para estar na serra : Viva o outono !!

4.5.09

Terra média Punk


Estreiou ontem on line um novo capítulo da saga Lord of the rings . O interessante é que se trata de um filme completamente independente , feito na base da brodagem por atores e cineastas amadores ingleses , com um custo menor do que 10 mil reais , levantado todo por doações e patrocinios anões , dirigido por Chris Bouchard , de apenas 27 anos !

A história deriva de apêndices de textos de Tolkien , e narra em 40 minutos a busca de Strider (Aragorn o "passolargo") por Gollum (my precious ...) no período entre as sagas Hobbit (que estréia ano que vem , essa sim milionária ) e a já clássica Senhor dos anéis .

Falando assim você logo imagina uma trasheira padrão youtube , mas pelo menos os teasers , traillers e cartazes ( http://www.thehuntforgollum.com/) são bastante caprichados , e até surpreendentes. Como toda a distribuição será gratuita não houveram problemas legais com o espólio de Tolkien e nem com a new line cinema .

Que bela lição nerd-power , e que venham mais versões indies de nossas sagas prediletas !!

20.4.09

O cineasta do olho do cú


Por mais palavras que procurasse jamais poderia expressar a admiração que sinto por Jonh Waters , e sua magnífica obra ! Nem os títulos de " Papa do trash " ou " Príncipe do vômito" estão à altura deste diretor genial e do impacto do seu legado. Transitando do mais obscuro gueto até a condição de relativa respeitabilidade que conquistou através dos anos , Waters achou o seu tom demente na obra prima " Pink Flamingo" , onde colocou sua fiel diva , o travesti obeso Divine - no meio da foto - (RIP), para comer côco , literalmente (côco de cachorro). Quando assisti da primeira vez (sem a cena do côco) mal pude acreditar nos que os meus olhos estavam vendo , numa sucessão de ultrajes sem fim : Exposição gratuita de genitália , sexo por entre galinhas , um cú que dança piscando , e por aí vai .

Com uma filmografia não muito extensa (Waters é bissexto) , e sua pinta de cafetão latino (mas o cara é legitimo white trash de Baltimore) , Waters maneirou bastante na escatologia desde então , é verdade , e pode-se dizer que hoje vive da sua merecida reputação , entre eventuais aparições em filmes (Jackass 2 ) , seriados (Os Simpsons - onde interpretou John (!) , um afetado dono de antiquário que namorou o Smithers !!) , como co produtor do desnecessário remake de Hairspray , ou na militância gay light . Está prometido para 2009 Fruitcake , com o outro demente John Knoxville . Vai perder ?

11.3.09

Cobain : 15 anos sem ...


O tempo não dá trégua , e lá se vão 15 anos da teatral saida de cena de Cobain e o seu Nirvana . Olhando em retrospecto vejo que o cara se matou no dia , mês e ano exatos , antes que tudo virasse uma caricatura gigante (pra ele já tinha virado , então tchau) . A década e meia que se seguiu deixou no rock um rastro de nu-metal , pop-punk , britpop , eletro pastiche , emo , que só atestam mais e mais que o rock estava morto (na melhor das hipóteses reciclado) .
Ei , mas o rock estava morto na virada dos 90 !! Então apareceu o cometa Nirvana , e quando as pessoas começavam a entender o que estava acontecendo , já tinha acabado . Perfeito .

O Nirvana foi um exemplo muito raro de banda que conseguiu reunir musicalidade , atitude , estilo , sinceridade , fúria , emoção e semancol pra acabar ( no auge , irretocável) . Nenhum dos três era gênio , nem super nada , e emergindo de um cenário white trash da pior espécie mudaram o rock pra sempre (e o pra sempre aqui durou 4 anos - uma eternidade no oceano efêmero do pop). Era empolgante escutar os discos , ver os shows ( até os clips !) , esperar as notícas , numa época pré internet , de Mtv escassa e de apenas uma claudicante radio rock no Rio (a Flu) que faleceria também um pouco depois . Os anos 90 acabaram bem ali .
Foi um tempo em que eu me importava mais com as coisas . Depois tudo ficou fácil , barato e artificial demais ..

Ou eu era muito ingênuo , ou o Nirvana era bom pra caralho !!